PASSEIOS EM TERESINA: pontos turísticos, restaurantes e natureza

Engana-se quem pensa que em Teresina não há nada para fazer! A capital do Piauí tem atrativos, bons passeios e comida de excelente qualidade. Aqui narramos como foi passar 02 (dois) dias na Cidade Verde, como a nomeou o escritor Coelho Neto, fazendo referência às suas ruas arborizadas.

Ponte Estaiada João Isidoro França

Ponte Estaiada João Isidoro França

Para quem não conhece, Teresina fica colada ao Estado do Maranhão, separada apenas pelo Rio Parnaíba. Para chegar na cidade vizinha, Timon (MA), basta atravessar uma das duas pontes que fazem a ligação: a Ponte Metálica João Luís Ferreira ou a Ponte da Amizade. A primeira, aliás, foi inicialmente uma ponte férrea e, hoje, é um atrativo da cidade, tendo sido declarada Patrimônio Cultural Brasileiro pelo IPHAN.

Teresina é banhada por dois rios: o Rio Paranaíba e o Rio Poti. E foi justamente por esse encontro fluvial que começamos nosso passeio de sábado. O Parque Ambiental Encontro dos Rios é um agradável lugar para caminhar, contemplar e almoçar em meio às temperaturas altas da região. Além da belíssima vista do encontro das águas (perceptível pela coloração), é possível comer deliciosos peixes no Restaurante Flutuante, além de comprar produtos locais nas inúmeras barraquinhas por ali.

IMG_6607IMG_6610  IMG_6613IMG_6660

Logo na entrada do Parque, há uma estátua do lendário Cabeça de Cuia. Reza a tenebrosa lenda que Crispim, um jovem rapaz que morava nas margens do Rio Parnaíba com a sua família, ao chegar para o almoço, foi servido pela sua mãe com uma sopa rala, com ossos, já que ali frequentemente faltava carne. Revoltado, discutiu com a mãe e atirou o osso contra ela, tendo a atingido na cabeça, matando-a. Antes de morrer, sua mãe lhe amaldiçoou a ficar vagando pelo Rio e, com a cabeça enorme no formato de uma cuia, só se libertaria da maldição após devorar sete virgens, de nome Maria. Com a maldição, Crispim enlouqueceu e correu ao rio Parnaíba, onde se afogou. Seu corpo nunca foi encontrado e, até hoje, algumas pessoas proíbem suas filhas virgens de nome Maria de lavarem roupa ou se banharem nas épocas de cheia do Rio. Alguns moradores da região afirmam que o Cabeça de Cuia, além de procurar as virgens, assassina os banhistas do Rio e tenta virar embarcações.

Superado o trauma dessa lenda, sentimos fome e fomos almoçar no Restaurante Flutuante que fica no Parque Ambiental Encontro dos Rios. A vista é deslumbrante, tivemos uma tarde de paz e boa comida.

IMG_6631IMG_6658

IMG_6656IMG_6640

Saindo do Parque, fomos passear pelo centro da cidade. Nossa intenção era ir à Central de Artesanato Mestre Dezinho, na Praça Pedro II, o coração da cidade. Infelizmente nos programamos mal e ele estava fechado. Aliás, praticamente toda a cidade fecha depois do meio dia de sábado. Mas vale a pena se programar para ir até lá e conhecer a produção artesanal da região.

Central de Artesanato Mestre Dezinho, na Praça Pedro IICentral de Artesanato Mestre Dezinho, na Praça Pedro II 2 Central de Artesanato Mestre Dezinho, na Praça Pedro II 3Central de Artesanato Mestre Dezinho, na Praça Pedro II 4

No meio da tarde, fomos ao Complexo Turístico da Ponte Estaiada João Isidoro França, cujo principal atrativo é justamente a Ponte, projetada em comemoração aos 150 anos da cidade, em 2010.  Além de ponto turístico, a ponte desempenha um importante papel na cidade, ligando a região central à região leste, sob o Rio Poti. Nela, é possível subir de elevador panorâmico e ter uma bela vista da cidade entrecortada pelos rios e coberta pelas copas das árvores.

Ponte Estaiada TeresinaPonte Estaiada Teresina

Depois desses passeios, fizemos uma parada tipicamente teresinense: fomos a uma das inúmeras sorveterias da cidade, na famosa Gelateria San Paolo, no Jóquei. Além de charmosinha, a sorveteria oferece o peculiar sorvete preparado na pedra.

IMG_6731IMG_6723

Para fechar o dia, jantamos no Coco Bambu, também no Jóquei. O restaurante, de origem cearense, oferece bela estrutura e pratos tipicamente nordestinos, muito bem servidos e saborosos. As porções são enormes. Quem curte frutos do mar com nata e queijo, surta ali.

Camarão internacional Coco BambuCoco Bambu Teresina

No domingo, fomos passear pelo Centro Histórico, com uma parada no Parque Nova Potycabana, onde fica uma placa comemorativa de Teresina, com os dizeres: THE AMO. O parque é fofo, super bem cuidado, arborizado… e quente! Andamos pouco nele, o calor nos impediu de curtir mais.

Nova Potycabana 2THE AMO TeresinaNova Potycabana 1Nova Potycabana 3

No Centro, fizemos algumas paradas: Igreja São Benedito, Palácio Karnak, Teatro 4 de Setembro, passando por inúmeros cantinhos fofos, permeados pelas ruas de paralelepípedo. Como era domingo, encontramos tudo fechado. Contemplamos a arquitetura e a paz dominical da Cidade Verde.

Igreja São BeneditoCentro de Teresina Teatro 4 de SetembroPalácio Karnak

Para nosso almoço, escolhemos um dos restaurantes da tradicional rede piauense Favoritos, o Favoritos Comidas Típicas & Churrascos. Especializado em capote, tem inúmeras opções de preparo. Como não curto tanto, optamos pelo Franguinho do Sinhô: delicioso! Um frango assado na brasa, com crosta crocante, suculento e memorável. Para acompanhar, pedimos a paçoca, uma das especialidades do Piauí. Ali, experimentamos a típica Cajuína, bebida caramelizada preparada a partir do suco de caju.

Favoritos TeresinaFavoritos Teresina Favoritos TeresinaFavoritos Teresina

Outro programa que os teresinenses adoram é shoppiar. Na cidade, tem dois Shoppings: o Teresina Shopping e o Riverside.