CUBA: nosso roteiro de 15 dias com informações úteis

A viagem a Cuba foi memorável! Até hoje me remeto ao país como referência de beleza, riqueza cultural, gentileza e alegria.

Realizamos a viagem em fevereiro de 2012. Levando em consideração o tempo que passou e as transformações político-sociais que o país vem atravessando nos últimos anos, acredito que muita coisa tenha mudado. De qualquer forma, não poderíamos deixar de falar sobre essa viagem aqui no blog!

Para começar, disponibilizo o nosso ROTEIRO:

1º Dia: Voo São Luís ⇒ São Paulo

Chegando pelo Aeroporto de Congonhas, então pegamos o ônibus que faz a ligação ao Aeroporto de Guarulhos, onde ficamos hospedadas no Fast Sleep Slaviero, no setor nacional, pois nosso voo para Cuba só sairia no outro dia.

2º Dia: São Paulo (Guarulhos) ⇒Panamá ⇒ Havana

Observação: Vale a pena conferir o Freeshop do Panamá. Tivemos uma hora para algumas comprinhas. Era 2012, o dólar estava acessível.

– Hotel em Havana: Hotel Comendador, reservado pela internet no Habaguanex. Escolha certeira em Havana, amamos os 7 dias de estadia, com conforto e localização privilegiada. A localização é central para passeios, entre as principais praças de Havana Velha (Plaza Vieja, Plaza das Armas e Plaza San Francisco), também convenientemente próximo da Calle Obispo e do Malecon. A área é muito segura para turistas, que passeiam sem problemas nas ruas cheias de música e alegria em qualquer horário. A hospedagem no centro do burburinho facilita os passeios e funciona como ponto de apoio ao longo do dia.

 

 

7º Dia: Havana 

8º Dia: Havana ⇒ Trinidad

9º Dia: Trinidad

10º Dia: Trinidad ⇒ Santa Clara ⇒ Sancti Spiritus ⇒ Trinidad

11º Dia: Trinidad ⇒ Varadero

12º Dia: Varadero

13º Dia: Varadero

14º Dia: Varadero

15º Dia: Varadero ⇒ Havana

16º Dia: Havana ⇒ São Paulo ⇒ São Luís

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

MOEDA: Quando fomos, existiam duas moedas paralelas em Cuba, uma turística e outra para os habitantes. A turística chama-se CUC e guarda equivalência com o dólar. A moeda local é o peso cubano, bastante desvalorizada. Os turistas apenas podem utilizar CUCs, que valem ouro na ilha.

TRANSPORTE:

Viajamos pela Copa Airlines até Cuba. Lá, nos locomovemos de ônibus de Havana para Trinidad, de Trinidad para Varadero e de Varadero para Havana. As passagens dos trechos foram compradas na rodoviária de Havana. Existe apenas uma empresa estatal que faz esse transporte, chamada Companhia Via Azul.

De Trinidad para Santa Clara fomos de carro, fretado por indicação de Manuel, dono da casa em que ficamos hospedadas. Essa modalidade de transporte é muito peculiar, eles cobram um preço razoável, ficam o dia inteiro conosco, param no meio da estrada para dar carona (isso é super comum em Cuba), te falam um pouco sobre os lugares, sem falar nos carros, antigos, cheios de história.

Em Havana é possível usar táxi e cocotaxi (táxi de bicicleta) e táxi coletivo. Existem alguns táxis que não são oficiais, outros que fazer lotação e que não é permitido que peguem turistas.

VISTO:

É necessário tirar visto (“tarjeta turística”) para ir a Cuba, custa 25 dólares e não envolve qualquer burocracia. Algumas companhias aéreas estão autorizadas a vender a tarjeta turística, entre elas a Copa Airlines. Compramos na hora do embarque, mas é recomendável se informar antes.

HOTÉIS:

Existem duas formas de hospedagem em Cuba: hotéis e casas de particulares (moradores que alugam quartos das suas casas e te possibilitam ter uma troca cultural mais intensa). Optamos por essa modalidade em Trinidad e não nos arrependemos, foi maravilhoso.

Havana: Hotel El Comendador. Endereço: Calle Obrapía, nº. 55, Esq. a Baratillo, Havana Vieja e Hotel Raquel. Calle Amargura 103 esquina a San Ignacio (última noite, depois que voltamos de Varadero).

Trinidad: Casa Colonial El Patio, Ciro Redondo 274 (San Jose). E-mail: asacolonialelpatio@gmail.com

Varadero: Melia Las Americas. Playa Las Americas, Autopista Del Sur.