AMSTERDAM: flores e passeio de barco – TERCEIRO DIA DE VIAGEM

Era nosso último dia de viagem, logo nos despediríamos da encantadora e charmosíssima Amsterdam. Os momentos finais guardavam um esperado passeio, seria hora de conhecer o Keukenhof, conhecido campo de flores holandês (já narramos em outro post como foi esse passeio).

Para tal passeio, saímos da Centraal Station, onde duas coisas nos chamaram atenção: o enorme estacionamento de bicicletas localizado em frente; e a parede de comida holandesa encontrada dentro da estação, na qual basta colocar  moeda para a comida sair quentinha do forno. Nós provamos e aprovamos, embora prefiramos o método tradicional.

IMG_5883

Estacionamento de bicicleta em frente a Centraal Station de Amsterdam

IMG_5897

Parede de comida holandesa

Já no finalzinho da tarde, chegamos do Keukenhof pela Centraal Station. Aproveitamos para lanchar num quiosque localizado na frente da estação, onde comemos um delicioso cachorro quente com muita mostarda. A poucos passos dali, encontramos um cais, onde pegamos um barco para fazer os passeios pelos canais de Amsterdam. Foi espetacular! A cidade realmente impressiona pela beleza.

Fizemos o passeio pela empresa Lovers (clique aqui para saber mais), escolhida ao acaso. Tínhamos visto outras companhias e achamos que essa estava dentro dos padrões de Amsterdam. O passeio custou individualmente €15,50 e os barcos saíam a cada meia hora. Compramos naquele momento os bilhetes e embarcamos para nosso passeio com 1 hora de duração.

No passeio, foi possível passar por lugares que ainda não tínhamos conhecido, como o NEMO (Museu da Ciência), alojado num prédio em formato de proa de navio. O passeio começa pela baía do Rio IJ, de onde partem os demais canais. Logo de início, é possível ver prédios com arquitetura bem moderna, que contrastam e complementam a arquitetura típica do centro da cidade, como o prédio EYE Film Institute Netherlands (que inclui um museu de cinematografia) e o Overhoeks (prédio comercial).

IMG_6390

EYE Film Institute Netherlands e o Overhoeks, Amsterdam

NEMO (Museu da Ciência) com o prédio em formato de proa de navio

NEMO (Museu da Ciência) com o prédio em formato de proa de navio

Ainda nesse passeio fluvial, vimos muitas bicicletas ornamentando as pontes, vários barcos ancorados que funcionam como casa, além de pessoas utilizando barcos menores como meio de transporte.

IMG_6463  IMG_6418

IMG_6434

Ponte móvel em um canal de Amsterdam

IMG_6441

Pontes nos canais de Amsterdam

IMG_6461  IMG_6472

IMG_6466

Um canal de Amsterdam

Pequena mostra da arquitetura de Amsterdam:

IMG_6447  IMG_6428

Depois do passeio, resolvemos experimentar um pouco da culinária holandesa: batata frita. Tínhamos achado curioso o tamanho das filas para comprar essa iguaria e não resistimos. Escolhemos a Manneken Pis, auto-aclamada melhor batata frita de Amsterdam. O quiosque fica localizado na Damrak, número 41. Ostenta uma placa roxa com os seguintes dizeres: “Voted no.1 Holland’s Fries”. A batata é realmente deliciosa, crocante por fora e macia por dentro. Talvez não seja a melhor, mas vale experimentar. Compramos apenas uma média (leia-se: extra-grande nos padrões brasileiros) com maionese.

À noite voltamos ao Red Light District, onde já tínhamos ido no dia em que chegamos. A intenção era conhecer um dos famosos coffee shops – bares que vendem drogas, prática legal na Holanda. O escolhido foi o mais difundido por lá, o Bulldog. Foi uma visita bastante antropológica, nos divertimos muito jogando sinuca. Lá descobrimos que estávamos no bar Bulldog (vendia somente bebidas) e não no coffee shop (onde vende cigarros e bolinhos de maconha). A experiência já estava valendo. A poucos passos, ficava o coffee shop, onde fomos em seguida.

Estendendo nossa experiência antropológica no Red Light District, fomos a uma casa noturna com shows de sexo ao vivo. Após pesquisar, escolhemos o Moulin Rouge, embora o Casa Rosso fosse mais famoso. Pagamos individualmente €25 pelo espetáculo. Para comparar, o Casa Rosso cobrava €40. O Moulin Rouge era o mais barato dali.

Entramos com a expectativa de assistir a um show de sexo, mas presenciamos algo que se aproximava de um show de humor, totalmente espetacularizado e turístico. Não recomendo essa casa, talvez as outras sejam melhores. Ali, nos decepcionamos também com o despreparo dos seguranças, que implicaram com um dos nossos amigos por motivo ainda desconhecido. Foi tão constrangedor ouvi-lo esbravejar qualquer coisa em holandês que resolvemos ir embora. Enfim, era nosso último dia e a experiência foi válida. Com essa, nos despedimos de Amsterdam. Ficou um gostinho de quero mais. Quem sabe na próxima primavera…