UMA VIAGEM PELO SUL DA FRANÇA: os calanques de Cassis

Nesse dia, nosso destino final era Marseille, mas antes disso percorreríamos ainda muitos lugares. A primeira parada seria a fábrica e o museu da L’Occitane en Provence, emblemática marca de cosméticos francesa. Ela ficava a poucos quilômetros do nosso hotel em Manosque e foi super simples chegar lá. Seguimos apenas as placas indicativas. O acesso é pela Autoroute 51 (A51), no seguinte endereço: Z.I Saint Maurice – 04100, Manosque.

A visita foi agendada por telefone com dias de antecedência e é “gratuita” (o número do telefone é: 04 92 72 16 00. O código da França é 33). Coloco entre aspas porque é difícil sair dali sem comprar alguma coisa na loja, os preços são menores se comparados com outros pontos de venda. Eu fiz questão de comprar uma lavanda como forma de levar aquele cheiro que esteve presente o tempo todo durante nossa viagem pela região. Toda vez que a uso, o aroma resgata as lembranças dessa viagem encantadora. Havia produtos em promoção também, não resisti e comprei uns presentinhos.

Chegamos à fábrica bem cedo, nossa visita estava marcada para 09h00. Enquanto esperávamos a guia para entrarmos na fábrica, visitamos o museu (que também é gratuito) e conhecemos a interessante história do fundador da empresa. Ali, aprendemos rapidamente como essa empresa foi crescendo e conquistando espaço no mercado francês, passando também por um processo de internacionalização, inclusive com abertura de fábrica no Brasil.

O grupo empresarial L’Occitane possui cinco marcas, as quais possuem fábricas próprias: L’Occitane en Provence, Melvita, Le Couvent des Minimes, Erborian e L’Occitane au Brésil. Como as demais, a fábrica de Manosque, onde fundada a L’Occitane, só utiliza matéria prima local, com exceção da manteiga de karité vinda da África (Burkina Faso).

A visita guiada foi também muito interessante, fizemos um tour pela fábrica, aprendemos sobre alguns produtos e ganhamos pequenas amostras para nos estimular ao consumo. Afinal, uma lojinha nos esperava no final da visita.

Partimos então para Cassis, cidade litorânea encantadora, repleta de belezas naturais e que fica a aproximadamente 100 km de Manosque. Ao chegarmos, foi difícil encontrar vaga em estacionamento, pois é um dos destinos favoritos dos franceses no verão. Depois de muita procura, finalmente encontramos uma vaga num estacionamento próximo ao porto.

IMG_8243

Já no porto, compramos tickets para um passeio de barco pelos Calanques. Escolhemos o passeio que incluía cinco calanques: Port Miou, Port Pin, En Vau, L’Oule e Devenson, o qual custou € 19,00 por pessoa. Nosso passeio seria às 15h00 (com duração de 1h05min), teríamos então tempo para almoçar.

Em Cassis, além do porto, das praias e dos calanques, as ruas são muito charmosas e o centro bastante movimentado e vivaz. Há ainda ali um castelo do século XIV, localizado no topo de uma colina. Infelizmente, esse castelo pode ser visitado amplamente, pois se tornou um hotel de luxo.

IMG_8357

Colina do Castelo em Cassis

Almoçamos no Le Grand Bleu, localizado no Quai des Baux, número 12. Achamos o restaurante maravilhoso, uma experiência gastronômica memorável. Com decoração charmosa e praiana, oferece mesas na calçada de frente para os barcos no cais. Ali, tomamos ainda o famosíssimo licor de Cassis e o vinho branco local.

Os calanques (baías formadas por falésias) se estendem por cerca de vinte quilômetros na costa do Mar Mediterrâneo, pelas cidades de Goudes, Marseille, Cassis e Bouches-du-Rhône. O acesso também pode ser feito de carro, mas preferimos o barco, tanto pelo charme quanto pela facilidade. Já estávamos bastante cansadas nessa altura da viagem. Embora os Calanques englobem Marseille, outro destino da nossa viagem, preferimos incluir no roteiro a encantadora Cassis.

Após a visita aos Calanques, saímos de Cassis e percorremos a Route des Crêtes (D141), entre as cidades de Cassis e Ciotat. Essa rota, assim como a Routes des Crêtes du Parc du Verdon, é impressionantemente bela, oferecendo lindas vistas. A estrada, de 12 quilômetros, é bastante estreita e sinuosa, possibilitando panoramas espetaculares. Ela corta uma enorme falésia, considerada a mais alta da França, talvez da Europa, possuindo muitos mirantes. Paramos em vários deles e ficamos estarrecidas com tanta beleza. Tive a impressão de estar suspensa entre o céu e o mar.

IMG_8398

Vista da Routes des Crêtes

No final da rota, passamos por Ciotat, cidade portuária, e seguimos para Marseille.

IMG_8459

Ciotat

Marseille fica a aproximadamente 20km de distância de Cassis. Assim, quando chegamos na cidade, já estava quase anoitecendo. Ficamos encantadas com essa complexa metrópole. Narramos num post próprio nossa chegada e experiência completa em Marseille (clique aqui para ler o posto sobre Marseille).