UMA VIAGEM PELO SUL DA FRANÇA: passeios pelo Canyon du Verdon

Nesse dia, tínhamos como destino principal o Gorges du Verdon, canyon escavado pelo rio Verdon e considerado o mais profundo da Europa. Saindo de Trigance, havia duas opções de caminho: pelo lado direito ou esquerdo do canyon. Escolhemos o lado direito, seguindo indicação da recepcionista do hotel.

IMG_0162   IMG_0300

Na saída de Trigance, pegamos então a Route D952 com destino à Route des Crêtes (estrada D23). Nesse percurso, paramos no Point Sublime (ponto sublime), auxiliadas por placas indicando a direção. O restante do caminho fizemos guiadas pelo GPS, embora as estradas fossem sinalizadas. No Point Sublime, tivemos acesso a uma vista panorâmica do canyon. Há um estacionamento público no local, com pequena estrutura turística. Ainda na D952 existem outros mirantes de onde é possível ter belas vistas do canyon. Fizemos várias paradas.

IMG_2757

Vista do canyon Gorges du Verdon, do Point Sublime

Antes de entrarmos na Routes de Crêtes (D23), paramos na cidade La Palud-Sur-Verdon para o almoço, que foi no restaurante La Provence. Essa cidade tem uma atmosfera bem esportiva e pareceu ser uma parada para refeições e repouso para aqueles que estão por ali se aventurando.

IMG_0306

Restaurante La Provence, La Palud-Sur-Verdon

É de Palud-Sur-Verdon que parte a D23 (Route des Crêtes). Fazer essa rota foi, sem dúvida, uma das experiências mais encantadoras e hipnotizantes da minha vida. Percorrendo essa estrada inclinada, estreita e com curvas fechadas, fiquei completamente deslumbrada e fascinada pelas suas belezas infindáveis.

Avançamos lentamente pela estrada, em razão das curvas e das inúmeras paradas que fizemos. A Route des Crêtes possui vários mirantes (belvédères), como os belvédères da Trescaïre, da Carelle, do Escalès e da Dent d”Aïre. Além de maravilhoso ponto de contemplação, ali também é um concorrido ponto de escaladas, rapel, trilhas e ciclismo. Há ainda inúmeros locais para  acampamento, um refúgio deslumbrante.

IMG_0286

IMG_0255

O canyon Gorges du Verdon em um dos pontos da Routes de Crêtes

IMG_0284

O canyon Gorges du Verdon em um dos pontos da Routes de Crêtes

IMG_0287

O canyon Gorges du Verdon em um dos pontos da Routes de Crêtes

Nossa próxima parada foi o Lac Sainte-Croix, formado artificialmente pelas águas do Rio Verdon. Para desfrutar do lago, resolvemos fazer um passeio de pedalinho que custou €16 para 4 pessoas. Como esse passeio é muito concorrido no verão, esperamos cerca de 1 hora pelo pedalinho, estava cheio de turistas por ali. Avistamos duas empresas que locavam pedalinhos e caiaques, optamos pela empresa com os pedalinhos maiores.

O passeio naquela água azul turquesa cercada pelas rochas do canyon foi magnífico. Chegou a ser inacreditável, uma beleza indescritível.

IMG_0338

Aluguel de barcos e pedalinhos no Lac Sainte-Croix

IMG_0365

Lac Sainte-Croix

IMG_0375

Lac Sainte-Croix

IMG_2830

Lac Sainte-Croix visto de cima

Depois de uma hora pedalando, ainda tínhamos tempo e disposição. Saímos do Lac Sainte-Croix e fomos conhecer a encantadora Moustiers-Sainte-Marie, cidade consideradas uma das mais belas da França. Ali, passeamos primeiramente pelas ruas e entramos nas lojinhas de souvenirs, repletas de porcelanato de faïence. Há, inclusive, um museu de faïence na cidade, orgulho local. Compramos uma linda coruja. Então, após respirarmos fundo, nos lançamos nos longos degraus que vão à Catedral Notre Dame de Beauvoir, bela igreja encravada numa colina. 

Moustiers-Sainte-Marie

Moustiers-Sainte-Marie

IMG_2866

Escadas da Catedral Notre Dame de Beauvoir, Moustiers-Sainte-Marie

IMG_2872

Vista da cidade Moustiers-Sainte-Marie, da Catedral Notre Dame de Beauvoir

Já no final do dia, nos direcionamos para Manosque, nossa terceira base na viagem pelo Sul da França, de onde partiríamos para conhecer os campos de lavanda. Não esperávamos, contudo, que os campos surgiriam já pelo caminho. Saindo de Moustiers-Sainte-Marie, nos deparamos como belos campos de lavanda, de trigo e de girassol no Plateau de Valensole. Foi emocionante ver o pôr do sol entre aqueles tapetes de flores, com o aroma da lavanda entrando no carro.

IMG_2930

Campos de trigo no Plateau de Valensole

IMG_2941

Plateau de Valensole

Depois de um dia cheio de aventuras, paisagens e emoções, parecia inacreditável que houvesse ainda mais belezas nessa região. Deixamos para desfrutar dos campos no dia seguinte e nos direcionamos ao Hotel Ibis em Manosque.

Pelas duas diárias, pagamos € 218 com o café da manhã. Como demoramos para reservar hotéis, não conseguimos vagas nos famosos Chambres d’Hôtes da região, nem mesmo em hotéis de charme. São disputadíssimos, era necessário reservar com, no mínimo, 03 meses de antecedência na alta estação.

À noite, jantamos no Courtpaille, restaurante localizado ao lado do hotel, que fica um pouco afastado da cidade. Para quatro pessoas, pagamos €87,50. O jantar foi uma lástima, extremamente caro e decepcionante.