GRÉCIA: chegando em Mykonos

Tomamos café da manhã no hotel de Atenas e pegamos o táxi às 06h20, como programado no dia anterior. O percurso para Pireus, cidade vizinha à Atenas, onde se localiza o porto do qual sairia nosso ferry para Mykonos, era de 30 minutos. O valor do táxi foi € 15,00. O horário de saída do ferry era as 07h00, mas saiu com um pouco de atraso. O tamanho e conforto do ferry me impressionaram. O balanço do mar incomoda um pouco, mas não chega a ser insuportável.

IMG_8621

Parte interna do ferry que liga Pireus à Mykonos.

IMG_8633

Assim que desembarcamos no Porto Novo de Mykonos, pesquisamos as passagens para Santorini, mas não compramos. Pegamos um táxi para o Hotel Nazos.

Quando fomos fazer nosso check-in no hotel, percebi que estava sem a bolsa com os passaportes e cartões. No auge do desespero, a dona do hotel disse que não era para nos preocuparmos. Ela pediu que fizéssemos a descrição do taxista e ligou imediatamente para ele. Para a nossa alegria e surpresa, em 5 minutos o taxista voltou ao hotel com a bolsa intacta. Cobrou € 5 pela volta que deu no quarterão e tudo se resolveu. Foi uma situação muito tensa e eu demorei para voltar ao normal.

Depois desse contratempo, fomos passear no bairro mais turistíco: Pequena Veneza. Ao passarmos por uma agência de viagem, compramos nossas passagens para Santorini pela mesma empresa Sea Jet – Master Jet. Custou € 55,00 + € 1,00 da taxa do cartão, o mesmo preço cobrado nas agências do porto. Existem três horários de partida para Santorini, escolhemos o de 10h40.

IMG_8653

Agência onde compramos a passagem de ferry para Santorini, localizada em Pequena Veneza

Depois de um passeio por aquelas ruas estreitas, com casas cúbicas e brancas, cheias de lojas e restaurantes, paramos para almoçar no restaurante de cozinha mediterrânea Katerina’s, que oferece uma linda vista para o mar e os moinhos. Os preços são elevados, equivalentes aos de Paris. Pedimos uma massa com molho picante e adocicado com camarão e uma moussaka, pelo preço de € 18,00 e € 11,00, respectivamente. O choop custava € 5,00.

IMG_8887  IMG_8685

IMG_8715  IMG_8713

Pertinho dali fica a mais famosa igreja de Mykonos, entre as mais de 400: a Igreja Paraportiani.

IMG_8787

Igreja Paraportiani, em Pequena Veneza

Seguimos em direção aos moinhos, de onde tivemos uma das vistas mais completas da ilha e de Pequena Veneza.

IMG_8828

Moinhos

IMG_8856

Pequena Veneza Vista dos moinhos

Em seguida, fomos em para o Porto Vellho, com as redondezas bastante movimentadas: bares, lojas de souvenirs, pescadores locais. Os barcos coloridos ali ancorados conferem um charme especial.

IMG_8916

Porto Velho de Mykonos

IMG_8917

Pescadores trabalhando ao lado de uma igrejinha no Porto Velho de Mykonos

Passeamos por Chora, bairro um pouco mais sofisticado do que Pequena Veneza. Foi lá que provamos nosso primeiro gyros grego, um sanduíche com pão pita, carne, molho de iogurte e batata frita, no Slovaky Gyros. O de frango custou apenas € 2,70 euros.

IMG_8988

Gyros com uma das cervejas gregas mais populares, Alfa

IMG_8989

Depois desse lanche, nos perdemos pelas ruas que mais parecem labirintos de Chora e Pequena Veneza.

IMG_8990

Bougainville, igrejinhas e fachadas brancas, as marcas de Mykonos

No horário do pôr do sol, nos direcionamos para os bares que ficam localizados de frente para o mar, em Pequena Veneza. Escolhemos o bar Varandas, que ainda contava com uma mesa em lugar privilegiado. Os lugares estavam repletos de gente. O garçom nos avisou que só poderia nos ceder a mesa se cada uma de nós pedíssemos um cocktail, que custavam no mínimo € 12,00. Pedimos então um drink de pêssego e um belini. Ficamos ali assistindo aquele espetáculo da natureza e do outro lado as casinhas brancas recebendo os últimos raios do sol, com uma iluminação alaranjada.

  IMG_9010

IMG_9034

Espetacular pôr do sol em Mykonos

O lugar é muito disputado, turistas brigam por um “lugar ao sol” e os bares e restaurantes cobram caro por isso.

Enorme quantidade de pessoas empilhadas nas varandas de Pequena Veneza para assistir ao pôr do sol

Enorme quantidade de pessoas empilhadas nas varandas de Pequena Veneza para assistir ao pôr do sol

As ruas de Pequena Veneza ficam iluminadas e agitadas durante a noite. Os estabelecimentos parecem nunca fechar. Todo esse movimento confere à ilha a fama de possuir uma noite animada, badalada e com diversão garantida para os mais boêmios. Infelizmente, depois de toda a correria durante o dia, não tivemos forças para aproveitar a noite. No dia seguinte tinha mais.