BÉLGICA: UM MERGULHO NAS CERVEJAS – BRUGES

A Bélgica é um paraíso para cervejeiros. O país produz mais de 1500 rótulos, com diversos modos de preparo e múltiplos ingredientes. Degustamos muitas delícias nas viagens para Bruxelas e Bruges. Por muita sorte, fomos a um festival de cerveja nesta última cidade, quando, por dois dias, pudemos aprender um pouco sobre essa arte secular.


BRUGES

A cidade, capital da Flandres Ocidental, é um tranquilo refúgio para os apreciadores das cervejas belgas. Linda e com ares medievais, tem bares maravilhosos nas margens do rio Zwyn, com atmosfera animada e enormes cartas de cervejas.

Quando chegamos na cidade, soubemos que estava ocorrendo o 7º Brugs Bier Festival, festival internacional que reuniu mais de 70 produtores de cerveja, com mais de 300 rótulos disponíveis para degustação. Em 2014, quando estivemos lá, o festival ocorreu nos dias 01 e 02 de fevereiro, enquanto que em 2015 ocorrerá nos dias 07 e 08 do mesmo mês.

O pacote para degustação custou € 10, com direito a uma taça e 3 fichas. Uma ficha extra custava € 1,50. Cervejas também eram vendidas diretamente nos stands, a dinâmica era bem bacana. Foi inevitável irmos nos dois dias, quando degustamos umas 8 cervejas e outras tantas compramos para degustação posterior.

Salão do 7º Brugs Bier Festival

Salão do 7º Brugs Bier Festival

O ambiente era festivo. Brindes coletivos, muita gritaria, conversas altas, pessoas festejando a cerveja. Olhamos vários grupos fantasiados com os símbolos das cervejas preferidas. Elefantes, porcos, duendes, monges, uma miscelânea de cervejeiros caminhavam entre os stands. Havia também os inevitáveis bêbados inconvenientes, mas eram minoria.

As cervejas degustadas foram as seguintes:

– A clássica Delirium Tremens, eleita melhor cerveja do mundo em 1998 no World Beer Champioship em Chicago. É uma Belgian Strong Ale, com 8,5% de teor alcoólico. Verdadeiramente soberba, a cerveja é aromatizada (um levíssimo toque de abacaxi), maltada, com sabor marcante e sem amargor.

– A também clássica La Choufee, com 6% de teor alcoólico. Maltada e sutilmente frutada, tem leve amargor. Uma bela cerveja.

– A célebre Kriek, cerveja frutada de cereja. Muito doce, não agradou meu paladar, mas não sou fã das cervejas frutadas. Tem uma cor vermelha linda, mas acabou aí meu encanto.

Val Dieu Blonde, com produção artesanal conduzida pela Brasserie de l’Abbaye du Val-Dieu, tem 6% de teor alcoólico. É leve e saborosa, com amargor suave. Uma boa cerveja d’abbaye.

– Bon Secours – Bière vivante – Blonde. Minha favorita da noite, em disputa acirrada. Cerveja d’abbaye, com alta fermentação, é artesanalmente produzida pela  Brasserie Caulier, localizada em Bon-Secours, na Bélgica. A blonde possui 8% de teor alcoólico. Dourada e turva, é extremamente maltada e encorpada. Tem leve aroma de ervas, cereais e pêssego, com sabor peculiar. Passa por dupla fermentação.

Authentique Blonde, produzida por uma pequena brasserie artesanal. Pouco maltada, achei fraca. Nada marcante, apenas uma ale suave, com 6,5% de teor alcoólico.

Bierboom, produzida artesanalmente por uma pequena brasserie local. Muito maltada, o alto teor alcoólico era evidente (8,5%). Tem coloração escura, um bonito marrom avermelhado, com suavíssimo aroma de chocolate. Diante das concorrentes, não me agradou.

– Brugse Zot Blond, cerveja de alta fermentação, é artesanalmente produzida em Bruges. Um verdadeiro orgulho local. A mascote, um bobo da corte, era a fantasia mais recorrente entre os frequentadores do festival. A cerveja é deliciosa: maltada, cremosa e com sabor marcante de cereais, tem 6% de teor alcoólico. Uma das minhas favoritas.

IMG_0818

7º Brugs Bier Festival

Fora do festival, havia muitas lojas especializadas em cerveja. Os preços variavam, uma pesquisa nos ajudou a economizar. Nossa mala voltou cheia, garrafas disputavam lugar com as caixas de chocolate.

Loja de cervejas em Bruges

Loja de cervejas em Bruges

Entre os inúmeros bares, teve destaque o impressionante 2Be, localizado na Wollestraat, 53. Com maravilhosa atmosfera, oferece mesas de frente para o rio. Logo na entrada, passamos por um interessante corredor de cervejas. Funciona também ali uma loja com produtos variados, onde as cervejas imperam.

Bruges

Balcão do 2Be

Vitrine no corredor de entrada do 2Be

Vitrine no corredor de entrada do 2Be

Vista da varanda do 2Be

Vista da varanda do 2Be

A nossa viagem posterior à Bélgica, na qual fomos a Bruxelas, nos forneceu outras experiências cervejeiras. No post seguinte detalho melhor as cervejas degustadas, narrando também nosso itinerário de bares.