TOSCANA: onde os caminhos são o destino – Pisa

Último dia de viagem pela Toscana: Pisa

Ainda em Montepulciano, tomamos nosso café da manhã na Piazza Grande. Dali, saímos rumo a Pisa. O trajeto foi longo, chegamos em Pisa às 12h00. Nesse dia, abrimos uma exceção e não pegamos estradas alternativas, pois, além da distância, estávamos bem cansadas para enfrentar todas aquelas emoções dos zigue-zagues em estradas estreitas.

Chegando em Pisa, nos direcionamos à Piazza dei Miracoli, onde está a famosa Torre di Pisa, o Duomo di Pisa e o Battistero di San Giovanni. Estacionamos o carro em uma rua próxima à praça, onde alguns vendedores ambulantes nos falaram que era gratuito nos domingos, por mais que insistíssemos em perguntar onde pegávamos o bilhete de estacionamento. Só depois de alguns meses a Europcar debitou um valor no cartão de crédito alegando que fomos multadas pela ausência de pagamento de estacionamento ali. Estamos contestando a penalidade.

IMG_4769

Torre di Pisa

IMG_4877

Duomo di Pisa, com a Torre ao fundo

Battistero di San Giovanni

Battistero di San Giovanni, com o Duomo e a Torre logo atrás

O passeio foi bem rápido. Tiramos algumas fotos, entre elas aquela tradicional segurando a torre, em perspectiva. Ao lado da praça estava acontecendo uma feira, onde compramos um souvenir e fomos embora. Era lá também que os ônibus com excursões estacionavam. Nem precisa dizer que o local é empilhado de gente.

Geralmente, os turistas visitam apenas essa praça quando passam por Pisa. Eu acho uma grande injustiça. A cidade é um charme! Mesmo estando um pouco sem movimento, já que era um dia de domingo, deu pra perceber que a cidade oferece muitas opções de lazer, como galerias de arte, museus, bares. Sem falar nas bordas do Rio Arno, encantadoras e agradáveis!

Almoçamos uma lasanha em um pequeno restaurante perto da praça e seguimos para bordear o Rio Arno, tomar um gelato e passear um pouco pelo centro histórico.

IMG_5002

Rio Arno, Pisa

IMG_5037

Ruas de Pisa

IMG_4965

Ruas de Pisa

Por fim, rumamos para o aeroporto. Era hora de devolver o carro e partir para Paris. A experiência foi tão intensa que chegou a emocionar quando nos demos conta de que a viagem tinha acabado, que aquelas belas paisagens da Toscana, as montanhas, os campos de feno, as casinhas de pedra perdidas no horizonte tinham ficado para trás. Só restaram nossas lembranças de dias vividos com intensidade, milhares de fotos, muitas palavras e nossa “bagagem”.